Em dezembro de 2018, a Pesquisa de Emprego e Desemprego-PED/DF mostrou diminuição da taxa de desemprego, com 18,3% (306 mil desempregados) frente a 18,5% registrados em novembro. Quando ajustada sazonalmente, a taxa de desemprego ficou estável em 19,0%. Houve redução do número de ocupados, de nove mil pessoas, alcançando 1.361 mil, porém o que auxiliou na diminuição da taxa de desemprego, foi a redução do número de desempregados e u aumento no número de inativos.

Fonte: PED-DF – Convênio Seatrab-GDF, Codeplan, Seade-SP e Dieese. Para a série com ajuste foi utilizado X13ARIMA.

Assim, se de um lado, a População em Idade Ativa – PIA registrou crescimento absoluto de cinco mil pessoas, de outro, a População Inativa cresceu em dezoito mil. Isso significa que no trimestre fechado em dezembro, houve uma migração de pessoas que estavam ativas (ocupadas ou procurando emprego) para a situação de inativas (fora do mercado de trabalho). Isso pode ser um resultado tanto do aumento do desalento como um retorno à normalidade: pessoas que não trabalhavam antes da crise, diante de uma situação de perda de renda familiar, passaram a procurar emprego para complemento e agora voltam a inatividade.

Do estoque de 1.361 mil pessoas ocupadas no Distrito Federal, no último mês de 2018, 980 mil eram assalariadas. Destas, 690 mil eram ocupadas no setor privado, sendo 577 mil trabalhadores com carteira assinada e 113 mil sem carteira –  o que representa, respectivamente, alta de seis mil empregos formais e três mil empregos informais no DF em relação a novembro. Enquanto o setor público reduziu seu contingente em seis mil assalariados, os autônomos expandiram em seis mil, o seu número. O rendimento médio real dos ocupados em novembro de 2018 mostra variação negativa de 4,4% em relação a outubro e impacta diretamente no consumo das famílias do Distrito Federal.

Em relação a dezembro de 2017, o mercado de trabalho mostra uma taxa de desemprego maior, porém, houve aumento no número de ocupados em quase todas as ocupações, com redução de empregos no setor público e entre empregados domésticos. O que ocorre é que houve um aumento do número de desempregados, de 14 mil, indicando que o crescimento da PEA ao longo do ano não foi totalmente incorporado pelo mercado de trabalho. Isto é, o DF está gerando empregos, porém, insuficientes.

Tabela – Indicadores do mercado de trabalho – Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) – Distrito Federal – dezembro 2018

Fonte: PED-DF – Convênio Seatrab-GDF, Codeplan, Seade-SP e Dieese

 

Para baixar o informe econômico, clique aqui

Para acessar a publicação da PED-DF clique aqui