Com o resultado de dezembro, o comércio ampliado encerrou 2018 com retração de 2,7% – a terceira maior da série histórica iniciada em 2005. Vale lembrar que em 2017 o setor apresentou avanço de 3,7% após fortes quedas em 2015 e 2016.

Dentre as categorias analisadas, praticamente todas apresentaram retração. As únicas exceções foram os segmentos Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (4,7%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (9,7%) e Material de construção (1,9%). Adicionalmente, é importante notar que o segmento de Veículos, motocicletas, partes e peças vem apresentando quedas sucessivas desde fevereiro de 2018.

Dezembro de 2018

Em dezembro, o volume de vendas do comércio varejista ampliado mostrou recuo de 1,0% na comparação com novembro, descontados os efeitos sazonais. O resultado também foi negativo na comparação entre o trimestre encerrado em dezembro e aquele encerrado em setembro.

Na comparação com dezembro de 2017, a retração foi ainda mais expressiva: 2,2%. Contribuiu para este resultado o desempenho negativo de segmentos importantes como Móveis e eletrodomésticos (-19,5%) e Tecidos, vestuário e calçados (-13,4%). Por outro lado, o crescimento em segmentos como Outros artigos de uso pessoal e doméstico (10,3%), Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (10,2%), Veículos, motocicletas, partes e peças (2,7%) e Material de construção (10,1%) amenizaram as perdas.

 

Para baixar o informe econômico, clique aqui.