Quando se analisa os números da economia do Distrito Federal no quarto trimestre de 2018, é possível perceber que a atividade econômica mostra recuperação, embora em ritmo gradual. Todavia, o cenário ainda se mostra recessivo em alguns segmentos importantes, de maneira que o resultado oferece um quadro positivo, ainda que errático em algumas variáveis.
 


Esta é a sétima edição do Boletim de Conjuntura do Distrito Federal, consolidando o trabalho de acompanhamento econômico que a CODEPLAN vem realizando. O Boletim se refere ao quarto trimestre de 2018, oferecendo uma visão ampla do comportamento da atividade econômica no DF. A defasagem de quase três meses se faz necessária para compatibilizar os dados econômicos do Distrito Federal, objetivando apresentar um quadro completo da economia no período avaliado. Contudo, a CODEPLAN acompanha e analisa, em outras publicações, as variáveis econômicas mais recentes já disponibilizadas, como é o caso do IPCA/Brasília e da PED.

O objetivo do Boletim, além de dar publicidade aos dados mais recentes do Índice de Desempenho Econômico do Distrito Federal – IDECON/DF, é o de contextualizar o desempenho das atividades econômicas do DF com demais agregados econômicos locais e nacionais, compondo um quadro macroeconômico mais amplo.

A partir de 2019, as seções do Boletim de Conjuntura do Distrito Federal serão divulgadas à medida que os indicadores se tornarem disponíveis, oferecendo uma análise mais recente e imediata da economia do DF. Desta forma, esta análise de conjuntura se estrutura com uma primeira seção avaliando os preços locais, por meio da análise do IPCA e o INPC. Em seguida, são apresentados os resultados do mercado de trabalho do DF, com números que advém da PED e do banco de registros administrativos do CAGED, do Ministério da Economia. Após a análise desses dois blocos que auxiliam a sinalizar como a economia se comportou no trimestre, é a vez de olhar para o Brasil e contextualizar os acontecimentos locais com a conjuntura nacional. A análise da economia do Distrito Federal é então realizada, sendo utilizado o IDECON-DF, e pesquisas mensais de serviços e comércio. Ainda, é oferecida uma seção que apresenta algumas projeções de variáveis econômicas selecionadas, com o objetivo de olhar, também, para o futuro e identificar o caminho que se está seguindo.

Além disso, nesta edição está sendo lançada uma seção complementar, projetada para acessibilidade e interatividade, localizada na página “Monitor de Finanças” deste Blog de Conjuntura do Distrito Federal (acesso através da barra superior). Nesta seção complementar, é oferecida uma avaliação do quadro fiscal do Governo do Distrito Federal, com base em relatórios da Secretaria de Fazenda do Distrito Federal (SEF-DF), resumindo os principais destaques das finanças públicas do período.