Em janeiro, o volume de vendas do comércio varejista ampliado mostrou variação de 1,5% na comparação com dezembro, descontados os efeitos sazonais. Na comparação com janeiro de 2017, o comércio se mostrou estável, com -0,1%.

Contribuiu para este resultado o desempenho antagônico de segmentos importantes como Móveis e eletrodomésticos (-9,8%) e Livros, jornais, revistas e papelaria (-15,3%) do lado negativo eArtigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (10,8%) e Material de construção (14,5%) do lado positivo. O resultado também ficou estável na comparação entre o trimestre encerrado em janeiro e aquele encerrado em outubro.

Desempenho em 12 meses

Com o resultado de janeiro, o comércio ampliado acumula em 12 meses retração de 3,0% — a sexta queda seguida nessa base de comparação, que vem mostrando aceleração em sua trajetória negativa.

Dentre as categorias analisadas, praticamente todas apresentaram retração. As únicas exceções foram os segmentos Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (45,2%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (10,6%) e Material de construção (3,1%). Esses segmentos mostram uma certa estabilidade de resultados ao longo do tempo, e principalmente, durante todo o ano de 2018.