Tabela 1 – Saldo da movimentação entre demitidos e admitidos – abril de 2019 – Brasil e DF

Fonte: Caged/Ministério da Economia; elaboração Codeplan

O CAGED[1] do DF registrou a criação líquida de 3.977 postos de trabalho em abril de 2019. Vale destacar que, à exceção da administração pública, todas as categorias do setor de serviços registraram expansão. Cabe notar também o bom desempenho do comércio varejista (830), dos Serviços de alojamento e alimentação (449) e dos Transportes e comunicações (17), segmentos cujos resultados no mês foram superiores aos verificados em abril de 2018.

Na comparação mais ampla com o mesmo mês do ano passado, observa-se menor dinamismo na geração de vagas. Contribuiu para este resultado o desempenho mais fraco da indústria, em especial o recuo na indústria de transformação e a expansão mais moderada da construção civil. No setor de serviços, a diferença foi modesta. Em particular, o recuo mais expressivo observado nas atividades imobiliárias foi praticamente compensado pelo melhor desempenho nos serviços de alojamento e alimentação, em transportes e comunicação e comércio varejista. A agropecuária, por sua vez, registrou recuo inferior ao observado no mesmo mês do ano anterior.

No acumulado em 12 meses

No acumulado em 12 meses, o DF apresenta um saldo líquido de 15.768 vínculos empregatícios ante 15.943 em março e pouco mais de 17 mil em fevereiro. O resultado sugere uma desaceleração da recuperação no mercado de trabalho, corroborado pelo comportamento da média móvel trimestral com ajuste sazonal.

Gráfico 1 – Saldo da movimentação entre demitidos e admitidos (CAGED) – Distrito Federal.


Fonte: Caged/Ministério da Economia; elaboração Codeplan

Cabe a menção de que o CAGED não registra a variação de empregos de servidores públicos estatutários.


[1] O CAGED é uma base de dados auto declaratória, com periodicidade mensal, de caráter preliminar. O CAGED oferece informações referentes ao mercado formal de trabalho, e não inclui dados de movimentação de servidores públicos.