Tabela 1 – Saldo da movimentação entre demitidos e admitidos – maio de 2019 – Brasil e DF

Elaboração: Codeplan com dados do CAGED/MT.

O CAGED[1] do DF registrou a criação líquida de 500 postos de trabalho em maio de 2019. Em grande medida, o resultado mais modesto foi consequência da retração no setor de serviços (-239).  Mais especificamente, o desempenho de segmentos ligados à atividade imobiliária (-853) e ao comércio varejista (-170) exerceram grande impacto sobre o setor. Por outro lado, cabe registrar o avanço da indústria (823), liderado pela indústria de transformação (426) e construção civil (322).

Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, a indústria mostrou resultado relativamente positivo, com melhor desempenho em praticamente todos os segmentos. No setor de serviços, apesar do recuo, a retração foi menor nos segmentos de comércio atacadista e varejista. Por outro lado, houve menor avanço nos segmentos de serviços de alojamento e alimentação e serviços médicos, odontológicos e veterinários.

No acumulado em 12 meses

No acumulado em 12 meses, o DF apresenta um saldo líquido de 15.164 vínculos empregatícios ante 15.768 em abril e 15.943 em março. O resultado sugere uma desaceleração da recuperação no mercado de trabalho, corroborado pelo comportamento da média móvel trimestral com ajuste sazonal.

Cabe a menção de que o CAGED não registra a variação de empregos de servidores públicos estatutários.

Gráfico 1 – Saldo da movimentação entre demitidos e admitidos (CAGED) – Distrito Federal.


[1] O CAGED é uma base de dados auto declaratória, com periodicidade mensal, de caráter preliminar. O CAGED oferece informações referentes ao mercado formal de trabalho, e não inclui dados de movimentação de servidores públicos.