Variação no mês

Em maio, o volume de vendas do comércio varejista ampliado mostrou crescimento de 1,6%, descontados os efeitos sazonais. Tal resultado contrapõe a variação negativa do período anterior de -1%, retomando os resultados positivos registrados no primeiro trimestre do ano. Na comparação com o mesmo mês de 2018, o comércio mostrou um avanço ainda maior, um crescimento de 7%.

Desempenho em 12 meses

Com o resultado negativo no acumulado de 12 meses em maio essa base de comparação entra em seu décimo mês consecutivo de retração. O que indica que os efeitos da recessão continuam sendo sentidos no DF, porém tal resultado é o melhor em oito meses, podendo indicar uma reversão de tendência.

 

 

 

 

 

 

Entre as categorias analisadas, três se destacam pela estabilidade e resultados positivos, sendo elas: Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (8%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (11,4%) e Material de construção (7,4%). Poucos são os segmentos que estão em expansão, estando os demais em trajetória de queda desde antes de 2018.

 

 

 

 

 

 

Já na comparação com o mês do ano anterior, somente dois segmentos apresentaram resultados negativos: Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-13,6%); Livros, jornais, revistas e papelaria (-23,1%). Tendo o primeiro segmento apresentado resultados negativos durante todo o ano e o segundo apresentando variações negativas nos últimos 24 meses, o que pode indicar novos hábitos de consumo na região e a dificuldade destes segmentos para se adaptarem.