No terceiro trimestre de 2019, a inflação em Brasília recuou em relação ao observado no segundo trimestre do ano – 0,26% ante 0,85%. A pressão que tem sido constante no IPCA de Brasília vem dos preços do aluguel residencial (1,48%), enquanto as passagens aéreas (-10,15%) apresentaram variação negativa no trimestre. Os outros destaques do trimestre são a energia elétrica residencial, que registrou alta de 6,22% no trimestre em função do período de seca, e o item Alimentação e bebidas (-0,69%), que apresentou recuo impulsionado pela queda sazonal nos preços do tomate (-49,48%).

No acumulado em doze meses, a inflação de Brasília mostrou redução e atingiu o nível de 2,11%, abaixo do limite inferior da meta perseguida pelo Banco Central e da inflação nacional, de 2,89%. A expectativa do mercado é que a inflação no Brasil encerre 2019 em 3,26%¹, valor abaixo do projetado em junho, de 3,82%, e abaixo do centro da meta definida em 4,25%. Como os núcleos seguem comportados e existe capacidade ociosa na economia, a inflação não deve ser um vetor de preocupação este ano.

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – Brasil e regiões – setembro de 2019.


Elaboração: Codeplan com dados do IBGE

¹ Boletim FOCUS do Banco Central do Brasil – mediana das expectativas do mercado – 18 de outubro de 2019.