Inflação de Brasília é de 0,38% em novembro

No mês de novembro, o IPCA de Brasília variou 0,38% em relação a outubro, quando havia registrado -0,08%. Foi a sexta menor inflação entre as 16 regiões pesquisadas pelo IBGE. Já o Brasil apresentou variação de 0,51%. Esse resultado fez com que a inflação acumulada no ano para Brasília atingisse 2,10%, registrando a menor variação no ano entre as regiões, enquanto o acumulado nacional ficou em 3,12%. A maior inflação mensal foi registrada em São Luís, de 1,05%, e as menores em Aracaju e Recife, com 0,14% cada.

O índice é resultado da contribuição positiva de dois grupos, Alimentação e bebidas e Despesas pessoais,e negativa do grupo de Artigos de residência. Esses dois primeiros contribuíram com, respectivamente, 0,25 e 0,18 p.p. no índice geral. No caso de Alimentação e bebidas, a variação mensal foi de 1,12%, principalmente devido ao aumento nos preços da carne (10,55%), enquanto o grupo de Despesas pessoais, com alta de 1,55% (porém com peso menor, o que explica sua contribuição mais amena), teve sua alta explicada pela variação de 24,53% no item Jogos de azar, referente à loteria, muito procurada no final de ano. Já os Artigos de residência apontaram variação de -0,69% após uma queda generalizada nos preços de Móveis e utensílios (-0,70%) e Aparelhos eletroeletrônicos (-0,57%), em função das promoções da Black Friday.

No caso da energia elétrica (-0,99%), a elevação de preços esperada em novembro, uma vez que a bandeira tarifária subiu de amarela para vermelha patamar 1, foi segurada pelo reajuste de -7,05% nas tarifas cobradas a consumidores residenciais pela Companhia Energética de Brasília (CEB), que entrou em vigor a partir do dia 22 de outubro. O item de maior pressão negativa no IPCA de novembro foram as passagens aéreas, com queda de -2,01%, que gerou uma contribuição de -0,04 p.p. no indicador geral.

O IPCA de Brasília acumula, em doze meses, 2,43%. Com isso, o indicador aponta novamente inflação abaixo do limite inferior (2,75%) da meta de inflação perseguida pelo Banco Central em nível nacional, de 4,25%. Esse movimento tem refletido o desempenho econômico moderado da economia do Distrito Federal, com pouca margem para modificar preços. Em 12 meses, os grupos que se destacam em termos de variação na inflação de Brasília são Alimentação e bebidas, 4,23%, Educação, 4,17%, Despesas pessoais, 3,96%, e Vestuário, 3,15% e assim como Transportes, o único grupo com variação negativa, de -0,57%.


http://www.codeplan.df.gov.br/wp-content/uploads/2019/12/Apresenta%C3%A7%C3%A3o_IPCA_Nov_2019.pdf

http://www.codeplan.df.gov.br/wp-content/uploads/2019/12/Boletim_IPCA_INPC_novembro.pdf