O CAGED[1] do Distrito Federal registrou um saldo negativo de 5.197  postos de trabalho em dezembro de 2019. O número negativo é comum ao mês de dezembro, que possui sazonalidade marcante, conforme já analisado em Nota Técnica da CODEPLAN[2]. Na série histórica, o resultado do mês aparece como o pior em três anos. Contudo, ainda apresenta números melhores do que os verificados durante a crise econômica (2014, 2015 e 2016).

Tabela 1 – Saldo da movimentação entre demitidos e admitidos – Brasil e DF – Dezembro de 2019

Fonte: Caged/PDET/Ministério da Economia; elaboração Codeplan

Em relação aos grandes setores, Agropecuária, Indústria e Serviços reduziram vínculos em dezembro, com saldos de -170, -1.531 e -3.496, respectivamente. Praticamente todos os segmentos acusaram fechamento de postos, sendo as exceções positivas o Comércio, que criou 227 novos vínculos, os Serviços médicos, odontológicos e veterinários, com criação de 177, e alguns segmentos da Indústria de transformação. Os demais segmentos registraram mais desligamentos do que admissões no mês. Os serviços de Ensino despontam com fechamento de 1.884 postos, seguido da Construção civil, que reduziu 1.424 vínculos empregatícios, e, logo após, os Serviços de alojamento e alimentação, que totalizaram 1.098 de saldo negativo.

Acumulado em 12 meses

Em 2019, contudo, o resultado foi positivo, com geração de 16.241 postos de trabalho no Distrito Federal. Isso representa uma variação de 2,06% no total de empregos, na comparação com o ano de 2018,  variação é maior do que a verificada para o país, de 1,61%[3]. Todo os grandes setores de atividade econômica registraram aumento de postos de trabalho no ano: Agropecuária, com 93, Indústria, com 2.163, e Serviços, com 13.985.

Em relação aos segmentos, somente cinco registraram fechamento de postos, sendo que o maior destaque são os Serviços de alojamento, alimentação, reparação, etc, com saldo de -1.926 em 12 meses. Outro destaque são os Serviços industriais de utilidade pública, com redução de 982 vínculos, especialmente, as atividades de Coleta, tratamento e disposição de resíduos, que registraram muitos desligamentos.

Em termos positivos, mais uma vez os Serviços médicos, odontológicos e veterinários mostram forte crescimento, com criação de 9.429 vagas em 2019. Além desse, cabe destacar o Comércio varejista, que registrou saldo positivo de 3.276 postos de trabalho, e também a Construção civil, que terminou o ano com um saldo acumulado de 2.293, mesmo com os desligamentos registrados em dezembro.    

Gráfico 1 – Saldo mensal, média móvel de três meses (MM3) e média móvel de 12 meses (MM12) da movimentação entre demitidos e admitidos (CAGED) – Distrito Federal


Fonte: Caged/PDET/Ministério da Economia; elaboração Codeplan

Cabe a menção de que o CAGED não registra a variação de empregos de servidores públicos estatutários.

[1] O CAGED é uma base de dados auto declaratória, com periodicidade mensal, de caráter preliminar. O CAGED oferece informações referentes ao mercado formal de trabalho, e não inclui dados de movimentação de servidores públicos.

[2] Nota técnica “O resultado do CAGED para o Distrito Federal em dezembro de 2017”, de fevereiro de 2018. http://www.codeplan.df.gov.br/wp-content/uploads/2018/03/O-Resultado-do-CAGED-para-o-Distrito-Federal-em-dezembro-de-2017.pdf

[3] PDET/CAGED/Ministério da Economia.