1 – ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR AMPLO – IPCA

Em julho de 2020, o IPCA de Brasília variou +0,34% em relação a junho, quando havia registrado
+0,46%. Foi a sexta menor variação entre as 16 regiões pesquisadas pelo IBGE e a segunda inflação consecutiva nos preços praticados na região. Já o Brasil apresentou variação também positiva de +0,36% no mês em relação ao mês anterior.

Gráfico 1 – IPCA – Variação mensal e acumulada no ano (%) – Brasil e Regiões Pesquisadas – Julho 2020

Fonte: IBGE. Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre.

O resultado do período mantém a trajetória evidenciada no mês anterior de sinais de recuperação dos preços locais, após três meses consecutivos de deflações entre março e maio. Essa alta nos índices de preço é influenciada pela reabertura parcial de diversos setores e atividades no Distrito Federal em junho. Ainda que os estabelecimentos estejam sujeitos a restrições sanitárias, a volta ao funcionamento tem atraído a demanda que, diante da baixa produção, acaba pressionando os preços. Contudo, os temores com a persistência da pandemia e a redução do poder de compra da população em função do elevado desemprego ainda geram um ambiente de baixa demanda local.

Gráfico 2 – IPCA – Variação mensal (%) e contribuição (p.p.), por grupo – Brasília – Julho 2020

Fonte: IBGE. Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre.

O índice de julho é resultado predominantemente da contribuição positiva do grupo Transportes, que variou +1,33% no mês. Esse valor foi resultado da alta de 3,60% nos preços da Gasolina no Distrito Federal (contribuição de +0,22 pontos percentuais), após sucessivos reajustes nos preços dos combustíveis nas refinarias da Petrobrás ao longo de junho e julho em função da recuperação gradual do preço internacional do petróleo e da alta do câmbio.

Por outro lado, o grupo de Alimentação e bebidas segurou uma inflação menor no mês, com variação de -0,31% em seus preços. Isso ocorre devido à maior oferta de Tubérculos, raízes e legumes (variação de -24,95%) no início do segundo semestre, por conta da menor incidência de chuvas e temperaturas amenas. Subitens como o Tomate (-32,31%), a Batata-inglesa (-30,54%) e a Cenoura (-39,76%) tiveram contribuições negativas, de -0,07 p.p., -0,04 p.p. e -0,02 p.p., respectivamente. Essa queda nos preços dos legumes superou um aumento de 3,11% nos preços das Carnes (contribuição de 0,05 p.p.), explicando o resultado do grupo no mês.

Tabela 1 – IPCA – 10 maiores (azul) e menores (laranja) contribuições (p.p.) e suas respectivas variações mensais (%), por subitem – Brasília – Julho 2020

Fonte: IBGE. Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre.

Tabela 2 – IPCA – 10 maiores (azul) e menores (laranja) contribuições (p.p.) e suas respectivas variações mensais (%), por item – Brasília – Julho 2020

Fonte: IBGE. Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre.

2 – ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR – INPC/BRASÍLIA

O INPC – índice que mede a inflação das famílias com rendimentos entre um e cinco salários mínimos – registrou alta de 0,40% em julho. Foi a sétima menor variação mensal observada entre as regiões pesquisadas. O valor superior ao do IPCA, embora próximo, se deveu ao maior peso na cesta do INPC de subitens pontuais, como Aluguel residencial e Perfume, que tiveram contribuições positivas no mês.

Gráfico 5 – INPC – Variação mensal e acumulada no ano (%) – Brasil e Regiões Pesquisadas – Julho 2020

Fonte: IBGE. Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre.

Tabela 3 – INPC – 10 maiores (azul) e menores (laranja) contribuições (p.p.) e suas respectivas variações mensais (%), por subitem – Brasília – Julho 2020

Fonte: IBGE. Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre.

Tabela 3 – INPC – 10 maiores (azul) e menores (laranja) contribuições (p.p.) e suas respectivas variações mensais (%), por item – Brasília – Julho 2020

Fonte: IBGE. Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre.

3 – ÍNDICE CEASA DO DISTRITO FEDERAL

O ICDF de julho de 2020 registrou variação negativa, (-3,25%), em relação ao mês anterior. O Setor de Legumes registrou queda de (-19,24%) e o Setor de Verduras, de (-4,33%). Porém, o Setor de Frutas avançou 4,60%. O período de maior produção de pimentão verde, batata lisa, tomate, cebola e cenoura predominou no resultado dos legumes. A demanda reduzida e o aumento de oferta de folhosas, como alface americana, couve-flor, agrião, e couve manteiga resultou na queda das verduras. A entressafra de banana nanica e de limão tahiti, e a retomada das exportações de mamão hawai superaram o efeito do aumento da produção de morango e maracujá na região. A produção de hortaliças tende a ser favorecida, diante de temperaturas amenas na região, como a de batata lisa, tomate, cebola e folhosas.

4 – CONSIDERAÇÕES GERAIS

Diante dos resultados apurados pelo IBGE para a inflação em Brasília, relativa ao mês de julho de 2020, alguns pontos merecem destaque:

  • IPCA registra inflação de +0,34% em julho, segunda variação positiva consecutiva. Quanto ao INPC, sua variação foi de +0,40%, percentual superior ao IPCA.
  • A alta nos preços da Gasolina (+3,60%) foi o principal contribuinte para o resultado do mês. Já a queda nos preços de itens de Alimentação e bebidas, como os Tubérculos, raízes e legumes (-24,95%), segurou uma inflação maior.
  • No acumulado do ano, Brasília apresenta o quinto menor IPCA, com variação de -0,07%, e o quarto menor INPC, de 0,09%, entre as regiões pesquisadas.
  • Em doze meses, o IPCA de Brasília estimado está em +1,76%, de acordo com o IBGE.
  • O IPCA do Brasil registra inflação de +2,31%, ainda abaixo do limite inferior da meta, de +2,50%. A mediana das previsões coletadas pelo Boletim FOCUS, do dia 31 de julho, é que a inflação nacional para o ano atinja +1,63%, abaixo do limite inferior da meta. No dia 5 de agosto, o Copom decidiu reduzir a taxa Selic para o patamar historicamente baixo de 2,00%.