Resumo

  • O Distrito Federal fechou 11.353 vagas de emprego formal no ano de 2020. No cenário nacional, foram criadas 142.690 vagas no período.
  • Considerado somente o mês de dezembro, o saldo distrital foi de -743 empregos formais, resultado esperado devido a questões sazonais. No Brasil, o valor foi de -67.906 vagas de trabalho.
  • Em dezembro, a Agropecuária e os Serviços registaram saldos positivos em seu número de postos de trabalho.
  • Já a Indústria, em especial a Construção, foi responsável pelo resultado negativo no mês.

O Distrito Federal encerrou o ano de 2020 com um saldo de -11.353 vagas de emprego formal, de acordo com os dados divulgados pela Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia. Foi a unidade da Federação com a terceira maior extinção de postos de trabalho no período, apresentando comportamento diverso ao resultado nacional, que abriu 142.690 empregos no ano. Considerado apenas o mês de dezembro, o resultado distrital foi de fechamento de 743 postos de trabalho, enquanto no Brasil, esse saldo foi de -67.906 vagas.

Apesar do resultado negativo, destaca-se que a capital federal apresentou saldos positivos no mercado de trabalho local ao longo de todo o segundo semestre do ano, com exceção do mês de dezembro (Gráfico 1), que é tradicionalmente marcado por saldos negativos em função de um número elevado de desligamentos na Construção e em centros de ensino¹. Assim, é perceptível uma tendência de recuperação, mesmo que lenta, do mercado de trabalho no Distrito Federal. Esse ritmo vagaroso pode ser parcialmente explicado pela incerteza quanto aos rumos da economia distrital, enquanto o nível de desemprego elevado tem inibido o crescimento da demanda.

Gráfico 1 – Evolução das admissões (+1), desligamentos (-1) e do saldo de empregos – Distrito Federal – janeiro a dezembro de 2020 – número de vagas

Fonte: CAGED/Ministério da Economia. Elaboração: GECON/DIEPS/Codeplan.

Resultado mensal

No mês de dezembro, o setor de Serviços foi o que apresentou o maior saldo positivo de empregos formais, criando 374 novas vagas, seguido da Agropecuária, com 64. O resultado foi impulsionado pelo segmento de Comércio, que se destacou ao criar 918 postos de trabalho, possivelmente auxiliado pelo maior volume de vendas transacionado no final de ano. O resultado dos Serviços não foi maior por conta do fechamento de 1.015 vagas na Educação, comportamento tradicionalmente observado em dezembro conforme escolas e instituições de ensino encerram contratos temporários.

A Indústria, por outro lado, fechou 1.181 empregos em dezembro e explica o saldo negativo observado no mês no Distrito Federal. Todos os seus componentes, com a exceção das Indústrias de transformação (+200 postos de trabalho), apresentaram saldos negativos em dezembro. A Construção aparece aqui como principal vetor de encerramento de vagas de emprego formal, fechando 1.348 vagas. Novamente, esse comportamento é sazonal e ocorre em todo mês de dezembro, explicando o resultado do Distrito Federal no período.

Tabela 1 – Saldo das admissões (+1) e desligamentos (-1) formais, por setor de atividade econômica – Saldo mensal e acumulado em 12 meses – Brasil e Distrito Federal – dezembro de 2020 – número de vagas

Fonte: CAGED/Ministério da Economia. Elaboração: GECON/DIEPS/Codeplan.

Resultado no ano

No acumulado no ano de 2020, o resultado é pouco diferente. Os diversos resultados positivos apontados pela Construção ao longo do ano (+2.119 vagas) se traduziram em um saldo positivo para o setor da Indústria, somando 3.125 novos empregos no período, enquanto a Agropecuária se manteve positiva, com um saldo de +151 vagas de trabalho.

Já os Serviços, setor mais afetado pelas medidas de combate ao novo coronavírus, apresentaram forte contração em seu número de empregados em função do momento econômico. O setor encerrou 14.629 vagas em 2020, com 9.460 delas se concentrando somente no segmento de Alojamento e alimentação. O resultado do setor não foi pior por conta do elevado saldo em Saúde humana e serviços sociais, de +7.386 empregos formais.

Com o resultado negativo acumulado em 2020, a capital do país figura dentre as Unidades da Federação que ainda não reverteram as perdas ocasionadas pela pandemia. De acordo com o Gráfico 2, o Distrito Federal encerrou 11.353 vagas no mercado formal de emprego no ano. Esse valor só não é maior que os registrados no Rio de Janeiro (-127.155) e no Rio Grande do Sul (-20.220). No Brasil, foram criadas 142.690 vagas no mesmo período.

Gráfico 2 – Comparativo do saldo acumulado em 12 meses do mercado de trabalho – Distrito Federal e estados brasileiros – dezembro de 2020 – número de vagas

Fonte: CAGED/Ministério da Economia. Elaboração: GECON/DIEPS/Codeplan.


¹ Esse comportamento é examinado em maior detalhe na nota técnica “O resultado do CAGED para o Distrito Federal em dezembro de 2017”, de fevereiro de 2018. http://www.codeplan.df.gov.br/wp-content/uploads/2018/03/O-Resultado-do-CAGED-para-o-Distrito-Federal-em-dezembro-de-2017.pdf