Resumo

  • A balança comercial do Distrito Federal fechou o mês de janeiro com déficit de US$ 53,66 milhões, com as exportações totalizando US$ 11,14 milhões e as importações US$ 64,80 milhões.
  • Em relação a dezembro do ano anterior, as exportações caíram 4,4%. Na comparação com o mesmo mês em 2020, houve alta de 15,3%.
  • No acumulado em 12 meses até janeiro, o resultado é de crescimento de 7,2% nas exportações.
  • Em relação às importações, houve retração de 49,3% em relação a dezembro de 2020 e de 64,0% frente a janeiro do mesmo ano. Em 12 meses, as importações cresceram 1,5% até janeiro de 2021.
  • Com o crescimento das exportações acima do das importações, mas menor peso da primeira, o déficit da balança comercial do DF se manteve estável, com variação de 0,6% no acumulado em 12 meses.

Tabela 1 – Resumo da Balança Comercial – Distrito Federal – janeiro de 2021

Fonte: ComexStat. Elaboração: Gecon/DIEPS/Codeplan.

As exportações do Distrito Federal totalizaram US$ 11,14 milhões em janeiro de 2021. Em relação a dezembro, o valor apresentou queda de 4,4%. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, porém, o resultado foi de alta, com variação de 15,3% (em janeiro de 2020, as exportações haviam totalizado US$ 9,67 milhões).

Apesar do avanço das exportações em janeiro de 2021 em relação a janeiro de 2020, o resultado da variação acumulada em 12 meses recuou para 7,2%, ante os 8,4% observados no mês anterior. O total exportado no período foi de US$ 175,66 milhões.

Entre os principais produtos exportados pelo Distrito Federal, a maior alta foi verificada nas exportações de Pedaços e miudezas de galinha congelados, com aumento de 10,2% entre janeiro de 2021 e dezembro de 2020 e de 147,3% em relação a janeiro de 2020. Outro destaque positivo é o Ouro em barras, fios e perfis de seção maciça, um dos principais itens exportados pelo Distrito Federal ao longo dos últimos anos, com percentuais de 6,0% e de 37,2%, respectivamente.

Por outro lado, as vendas distritais de Carnes de galos/galinhas, não cortadas em pedaços, congeladas, que apresentaram excelente resultado em dezembro de 2020, não repetiram esse comportamento em janeiro de 2021, levando a uma redução de 94,9% na comparação. Ainda assim, a variação em relação a janeiro de 2019 foi de crescimento de 593,3%, favorecido pela quantidade quase nula do produto exportada naquele mês.

Esse resultado mensal explica a retração ilustrada na Tabela 1. Ainda assim, ele não foi suficiente para reverter os ganhos do produto na balança comercial de forma que, no acumulado em 12 meses findos em janeiro, há um crescimento de 15,3% nas exportações em relação ao mesmo período do ano anterior.

Vale mencionar que as exportações de janeiro de 2021 de Querosene de aviação (US$ 613,90 mil) tiveram aumento em relação ao mês anterior (US$ 249,27 mil), porém ainda são quase um terço dos valores exportados em janeiro de 2020 (US$ 1.738,41 mil). A intensa queda nas vendas desse produto para o exterior se deve entre outros fatores, à redução no número de voos em função do isolamento social fruto das medidas de combate à COVID-19.

Gráfico 1 – Exportações – Principais posições do Distrito Federal – Valor US$ FOB – NCM do produto* –  dezembro de 2019 a janeiro de 2021

* A Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) é a classificação de produtos utilizadas no âmbito do Mercosul.
Fonte: ComexStat. Elaboração: Gecon/DIEPS/Codeplan.

As importações do Distrito Federal totalizaram US$ 64,80 milhões em janeiro de 2021. Em relação a dezembro do ano anterior, houve queda de 49,3%. Em relação a janeiro de 2020, o movimento foi ainda mais intenso, apontando retração de 64,0%. É importante destacar que as importações do Distrito Federal são majoritariamente compostas por medicamentos e outros produtos farmacêuticos adquiridos pela União, que entram no país pela sua capital antes de serem distribuídos aos estados e municípios, explicando o consistente déficit na balança comercial local.

No acumulado em 12 meses findos em janeiro, as importações mostraram alta de 1,5%. O valor total importado na região foi de US$ 1.217,43 milhões no período. Com o avanço das exportações acima do crescimento das importações no indicador, ponderado pela sua menor participação na balança comercial local, o saldo acumulado em 12 meses dessa última se manteve estável no mês, com variação de 0,6%.

O Gráfico 2 mostra a evolução das exportações e das importações acumuladas em 12 meses. Nele, observamos que as exportações do DF permaneceram estáveis com uma leve tendência de alta em 2020, enquanto as importações seguiram em uma trajetória ascendente. Com base nessa dinâmica, é fácil visualizar o porquê de o déficit da balança comercial local estar crescendo.

Gráfico 2 – Exportações (superior) e importações (inferior) do Distrito Federal – Valor no mês (barra) e acumulado em 12 meses (linha) – Valor US$ FOB milhões – Janeiro de 2017 a janeiro de 2021

Fonte: ComexStat. Elaboração: Gecon/DIEPS/Codeplan.