• A taxa de desemprego do Distrito Federal ficou em 18,1% em janeiro de 2021. O resultado é superior ao registrado em dezembro (18,0%).
  • A taxa de participação apresentou uma queda, em 64,0%,-0,4% em comparação a dezembro de 2020.
  • O setor de Administração Pública, Defesa e Seguridade Social foi o único a apresentar variação positiva entre os ocupados (+2,5%), empregando mais 4 mil pessoas em relação a dezembro de 2020.
  • Construção registrou a maior variação percentual negativa, com -4,2%. Já o setor de Serviços apresentou a maior variação absoluta, com 3 mil pessoas a menos.
  • O rendimento médio real dos ocupados cresceu +4,3% em dezembro, comparado a novembro de   2020.

Gráfico 1 – Evolução da taxa de desemprego e da taxa de participação – Percentual (%) – Distrito Federal – abril de 2020 a janeiro de 2021

Fonte: PED-DF. Convênio Codeplan e Dieese. Elaboração: GECON/DIEPS/CODEPLAN

Em janeiro de 2021, o número de desempregados do Distrito Federal se manteve em 291 mil pessoas, o mesmo registrado em dezembro de 2020, representando 18,1% da população que busca uma vaga no mercado de trabalho. No mesmo período, a taxa de participação registrou uma queda de 0,4 pontos percentuais (p.p).

O aumento da desocupação no Distrito Federal pode ser explicado pela redução da taxa de participação, que contribuiu para reduzir em 0,5 p.p a taxa registrada em janeiro de 2021, como é mostrado no Gráfico 2. No entanto, a queda no número de desocupados promoveu um incremento de igual magnitude (+0,5 p.p.) de forma que o resultado do desemprego ficou a cargo do aumento demográfico natural da capital, cujo aumento acresceu 0,1 p.p. à taxa de desemprego da região.

Gráfico 2 – Decomposição da variação da taxa de desemprego – Pontos percentuais (p.p.) – Distrito Federal – janeiro de 2021

Fonte: PED-DF. Convênio Codeplan e Dieese. Elaboração: GECON/DIEPS/CODEPLAN

O total de ocupados apresentou uma queda de 0,6% ante dezembro de 2020, com os setores de Construção ( -3 mil pessoas), e Serviços ( -3 mil pessoas), sendo os maiores contribuidores para esse resultado negativo. Ao contrário desses setores, a Administração Pública, Defesa e Seguridade Social registrou um crescimento de 2,5%, com +4 mil novas pessoas.

Tabela 1 – Estimativa do número de ocupados, segundo setores de atividade – Distrito Federal – dezembro de 2020 e janeiro de 2021

Fonte: PED-DF. Convênio Codeplan e Dieese. Elaboração: GECON/DIEPS/CODEPLAN

A queda no número de ocupados, pelo segundo mês consecutivo, foi impactada pelo resultado negativo dos Trabalhadores Autônomos, que tiveram uma perda de 4,1% em relação ao mês passado (-10 mil pessoas no setor), e das Demais Posições, categoria que registrou uma queda de 2,9% (-3 mil pessoas). No lado positivo, o destaque foi o grupo de Empregados Domésticos, que, ao criar 2 mil novos postos de trabalho, registrou alta de 2,7% em relação a dezembro de 2020. Em números absolutos, o Setor Público registrou a maior alta, com +5 mil pessoas empregadas nessa atividade.

Tabela 2 – Estimativas do número de ocupados, segundo posição na ocupação – Distrito Federal – dezembro de 2020 e janeiro de 2021

Fonte: PED-DF. Convênio Codeplan e Dieese. Elaboração: GECON/DIEPS/CODEPLAN

O rendimento médio real dos trabalhadores ocupados registrou uma expressiva alta de 4,3% em dezembro em relação ao mês anterior, atingindo R$ 3.940.

Tabela 03 – Estimativas consolidadas da Pesquisa de Emprego e Desemprego do Distrito Federal – dezembro de 2020 e janeiro de 2021

Fonte: PED – CODEPLAN. Elaboração: GECON/DIEPS/CODEPLAN.]