1 – ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR AMPLO – IPCA

O IPCA do Distrito Federal variou 1,18% em fevereiro de 2021. O resultado representa o maior resultado para o mês desde 2012 e é o terceiro maior entre as 16 regiões pesquisadas pelo IBGE, ficando atrás apenas de Fortaleza (CE), que teve alta de 1,48%, e de Belém (PA), cuja inflação foi de 1,41%. Já o Brasil apresentou variação de 0,86%, abaixo do valor verificado na capital federal.

Gráfico 1 – IPCA – Variação mensal (%) – Brasil e Regiões Pesquisadas – fevereiro de 2021

Fonte: IBGE. Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre

O índice de fevereiro é resultado predominantemente da contribuição positiva do grupo de Transportes, cuja variação positiva de 4,32% acresceu 0,94 p.p. ao índice geral do mês. O seu comportamento reflete, majoritariamente, a contribuição positiva da Gasolina (+0,79 p.p.), com contribuições bem menos intensas dos demais subitens, como a Passagem aérea (+0,05 p.p.) e o Óleo diesel (+0,02 p.p.). No ano, a Gasolina e o Óleo diesel já acumulam alta de 15,11% e 7,66%, respectivamente, após repetidos reajustes no preço dos combustíveis nas refinarias em função da valorização do petróleo no mercado internacional e da taxa de câmbio elevada.

A segunda maior contribuição positiva para o resultado do mês veio do grupo de Saúde e cuidados pessoais (+0,13 p.p.), destacando o incremento proporcionado pelos bens de Higiene pessoal (+0,07 p.p.). Os produtos de Alimentação e bebidas, que vinham apresentando inflações expressivas e consecutivas ao longo dos últimos seis meses, permaneceram estáveis em fevereiro (contribuição de 0,01 p.p.)

A única contribuição negativa para o índice veio do grupo Educação, porém foi bastante tímida (-0,01 p.p.). A retração de 6,12% nos cursos de Ensino superior compensou a alta de 3,76% nos de Ensino Fundamental e de 2,72% nos preços de artigos de Papelaria, explicando o resultado do grupo no mês.

Gráfico 2 – IPCA – Variação mensal (%) e contribuição (p.p.), por grupo – Brasília – fevereiro de 2021

Fonte: IBGE/ Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre

Tabela 1 – IPCA – 10 maiores contribuições positivas (azul) e negativas (laranja) e suas respectivas variações mensais, por subitem – Distrito Federal – fevereiro de 2021

Fonte: IBGE/ Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre

2 – ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR – INPC

A inflação incidente sobre as famílias com rendimentos entre um e cinco salários mínimos, que é capturada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), alcançou uma variação positiva de 1,21% em fevereiro de 2021, percentual acima do registrado pelo IPCA (+1,18%). O índice é, novamente, o terceiro maior entre as regiões pesquisadas e acima da média nacional para o período (+0,82%). No acumulado do ano, a capital federal já observa uma inflação de 1,31%, enquanto o Brasil uma de +1,09%.

Gráfico 3 – INPC – Variação mensal e acumulada no ano (%) – Brasil e Regiões Pesquisadas – fevereiro de 2021

Fonte: IBGE/ Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre

O comportamento do INPC é influenciado, novamente, pela elevada contribuição advinda do grupo de Transportes, cuja variação de 3,92% no mês colaborou com 0,90 p.p. para o índice geral. Os motivos para essa alta são os mesmos apontados na análise do IPCA, porém com uma contribuição um pouco menor pelo fato de o Transporte público ter apresentado uma variação menos intensa para essa faixa de renda. Saúde e Cuidados pessoais, por sua vez, adicionaram outros 0,13 p.p. ao INPC de fevereiro, enquanto Habitação contribuiu com 0,07 p.p. Apenas o grupo de Educação atuou para que a inflação do período não fosse mais acentuada ao contribuir com -0,02 p.p.

Gráfico 4 – INPC – Variação mensal (%) e contribuição (p.p.), por grupo – Brasília – fevereiro de 2021

Fonte: IBGE/ Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre

Tabela 2 – INPC – 10 maiores contribuições positivas (azul) e negativas (laranja) e suas respectivas variações mensais, por item – Distrito Federal – fevereiro de 2021

Fonte: IBGE/ Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre

3 – IPCA POR FAIXA DE RENDA DO DISTRITO FEDERAL

Em relação às faixas de renda, os 25% mais pobres do Distrito Federal vivenciaram uma inflação de 0,88% no período, bastante abaixo das demais faixas. Esse resultado é parcialmente explicado pela composição da inflação de fevereiro, com uma pressão forte dos combustíveis – item esse que possui um consumo menor entre as famílias de baixa renda. As três demais faixas apresentaram resultados semelhantes entre si: 1,43% na faixa Média-baixa, 1,51% na Média-alta e 1,42% na faixa Alta.

Gráfico 5 – IPCA por faixa de renda – Variação mensal (%) – Distrito Federal – janeiro a fevereiro de 2021

Fonte: GECON/DIEPS/CODEPLAN com dados do IBGE.

4 –  ÍNDICE CEASA DO DISTRITO FEDERAL

O ICDF de fevereiro de 2021 registrou variação positiva, 6,65%, em relação ao mês anterior.

O Setor de Verduras registrou a maior variação positiva, 18,77%, seguido do Setor de Frutas, 10,36%, e do Setor de Ovos e Grãos, 5,23%. Porém, o Setor de Legumes, (-3,41%), registrou variação negativa. Manga palmer, 69,29%, e tommy, 44,52% apresentaram aumento, devido à oferta restrita e demanda internacional. Aumento do custo de produção dos ovos bem como maior demanda em período de Quaresma, pressionou os preços. Maior produção de batata lisa, (-24,70%), trazida de regiões produtoras de MG e de tomate, na região do DF, (-11,20%) mantiveram os preços mais baixos. Para o próximo período, a produção de hortaliças tende a seguir afetada pelas temperaturas mais elevadas e à incidência de chuvas diretas nos campos de produção.

5 – CONSIDERAÇÕES FINAIS

  • IPCA registra inflação de 1,18% em fevereiro, terceiro maior resultado entre as regiões pesquisadas. O resultado nacional foi de 0,86%.
  • INPC apresenta variação próxima, de 1,21%, sendo novamente a terceira maior variação no mês.
  • A alta nos preços dos Combustíveis (+0,83 p.p.), em especial da Gasolina (+0,79 p.p.), foi o principal responsável pelo resultado do mês.
  • O grupo de Alimentação e bebidas, principal vetor inflacionário dos últimos meses, permaneceu estável em fevereiro (+0,01 p.p.). Já a Educação foi o único grupo a apresentar deflação no mês (-0,02 p.p.).
  • Entre as faixas de renda, a faixa Baixa apresentou uma inflação de 0,88% no mês, a Média-baixa de 1,43%, a Média-alta de 1,51% e a Alta de 1,42%.