Resumo

  • O IPCA-15 do Distrito Federal se elevou em 1,44% no período de 12 de fevereiro a 15 de março.
  • O resultado é o segundo maior entre as principais capitais, ficando atrás apenas de Belém-PA (+1,49%).
  • A principal contribuição positiva foi do grupo Transporte (+1,14 p.p.), enquanto Educação e Comunicação (0,00 p.p.) foram os destaques na ponta negativa.
  • A Gasolina representou a maior alta entre os subitens (+0,96 p.p).

Gráfico 1- IPCA-15: Variação mensal e acumulada no ano (%) – Brasil e regiões pesquisadas – março de 2021

Fonte: IBGE. Elaboração: GECON/DIEPS/CODEPLAN.

O nível de preços praticados no DF se elevou em 1,44% na comparação com o mês anterior, como é visto no Gráfico 1, de acordo com os resultados obtidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o IPCA-15. O resultado mostra uma inflação acima da média nacional (0,93%). No acumulado do ano, a capital federal se encontra no 7º lugar entre 12 analisados, com 2,41%.

O resultado do mês de março reflete principalmente a alta registrada em Transportes, que representou uma contribuição positiva de 1,14 pontos percentuais (p.p) para o índice geral. Entre os nove grupos analisados pelo IBGE, apenas Comunicação e Educação apresentaram variações negativas no período, como é mostrado no Gráfico 2.

Gráfico 2: IPCA-15: Variação (%) e contribuição (p.p.), por grupo de produtos – Distrito Federal – março de 2021

Fonte: IBGE. Elaboração: GECON/DIEPS/CODEPLAN.

As Tabelas 1 e 2 mostram as contribuições de itens e subitens para o resultado geral, respectivamente. Nelas é perceptível a variação do grupo Combustíveis (13,13%), e que influenciou a alta em Gasolina (13,24%). Suas contribuições foram os principais responsáveis para os resultados obtidos, com 1,00 p.p e 0,96 p.p respectivamente. Esses resultados advêm dos novos reajustes de preços nas refinarias impostas pela Petrobras. Veículo próprio (+0,14 p.p) e Aluguel e taxas (+0,07 p.p) foram os outros destaques positivos nos itens do IPCA-15.

Tabela 1 – IPCA-15: Maiores contribuições (p.p.) e suas respectivas variações (%), por item – Distrito Federal – março de 2021

Fonte: IBGE. Elaboração: GECON/DIEPS/CODEPLAN.

Entre as contribuições negativas, Tubérculos, raízes e legumes registraram uma queda de 8,48% em seus preços,  contribuindo com -0,04 p.p. Nos subitens, o Tomate foi destaque com -15,94% na variação mensal, colaborando com -0,04 p.p no índice geral.

Tabela 2 – IPCA-15: Maiores contribuições (p.p.) e suas respectivas variações (%), por subitem – Distrito Federal – março de 2021

Fonte: IBGE. Elaboração: GECON/DIEPS/CODEPLAN.