Autor: CODEPLAN

Economia Brasileira A leitura dos dados do PIB mostra retração da atividade no primeiro trimestre do ano. Pelo lado da oferta, pesou para o resultado a queda na indústria (-0,6%) e o baixo crescimento dos serviços (0,2%). Pelo lado da demanda, destaque para o recuo do investimento e o avanço modesto do consumo das famílias (0,3%). A mediana das expectativas de mercado, por sua vez, aponta para um crescimento em 2019 pouco acima de 1,0%. Este quadro é agravado pelo fato de que a economia brasileira passou recentemente por uma longa e profunda recessão da qual ainda não conseguiu se […]

Leia mais

Variação no mês O mês de abril apresentou alta no volume de vendas de 0,6% quando comparado a março, descontados os efeitos sazonais, mantendo a tendência de alta iniciada no mês anterior, quando nessa base de comparação, o volume de vendas no Distrito Federal subiu 2,2%. Em relação ao mesmo ano do mês anterior a alta foi de 0,2%, respondendo a uma redução de 3,7% nessa base no período anterior. Desempenho em 12 meses No acumulado em doze meses o volume de serviços apresentou uma variação de 3,6%, mantendo um crescimento estável nos quatro primeiros meses deste ano, tais resultados […]

Leia mais

Em abril, o volume de vendas do comércio varejista ampliado mostrou retração de 1,4%, descontados os efeitos sazonais. Tal resultado contrapõe a variação positiva do período anterior de 0,8%. Já, na comparação com abril de 2018, o comércio mostrou um aumento de 1,6%. Desempenho em 12 meses Com o resultado negativo no acumulado de 12 meses em abril essa base de comparação entra em seu nono mês consecutivo de retração. Isso indica que os efeitos da recessão continuam sendo sentidos no DF, ainda que este primeiro quadrimestre tenha mostrado melhor desempenho de vendas que o mesmo período de 2018. Entre […]

Leia mais

No mês de maio, o IPCA de Brasília variou -0,05% em relação a abril, quando havia registrado alta de 0,77%. Foi a menor inflação mensal, junto com Rio de Janeiro, entre as 16 regiões pesquisadas pelo IBGE, e em sentido oposto da inflação brasileira, de 0,13%. O resultado do mês para o Brasil surpreendeu o mercado que estava com expectativa de alta de 0,26% de acordo com o último boletim Focus[1]. Já a inflação acumulada no ano para Brasília voltou a ser a menor do país, bem abaixo do acumulado para o país, de 2,22%. A maior inflação mensal foi […]

Leia mais

Em abril de 2019, a Pesquisa de Emprego e Desemprego-PED/DF registrou avanço da taxa de desemprego para 19,9% ante 19,5% em março. Quando ajustada sazonalmente, a taxa de desemprego ficou em 19,1% da população economicamente ativa, apresentando um leve descolamento da tendência de estabilidade dos últimos 3 meses (18,8% em janeiro e fevereiro, e 18,9% em março). Enquanto o número de desempregados alcançou 337 mil, aumentando em 3,4% quando comparado a março, o de ocupados cresceu para 9 mil no mesmo período, um crescimento de 0,7%. O resultado de abril, em relação a março, é consequência da migração de inativos […]

Leia mais

Tabela 1 – Saldo da movimentação entre demitidos e admitidos – abril de 2019 – Brasil e DF O CAGED[1] do DF registrou a criação líquida de 3.977 postos de trabalho em abril de 2019. Vale destacar que, à exceção da administração pública, todas as categorias do setor de serviços registraram expansão. Cabe notar também o bom desempenho do comércio varejista (830), dos Serviços de alojamento e alimentação (449) e dos Transportes e comunicações (17), segmentos cujos resultados no mês foram superiores aos verificados em abril de 2018. Na comparação mais ampla com o mesmo mês do ano passado, observa-se […]

Leia mais

Os resultados da PNADCT[1] para o Distrito Federal mostram que a taxa de desocupação avançou para 14,1% no 1º trimestre de 2019, ante 12,1% no trimestre anterior. Embora em menor magnitude, o avanço também foi observado na série com ajuste sazonal, que registrou 13,1% ante 12,6% no trimestre anterior. O setor privado com carteira assinada apresentou redução de 6 mil trabalhadores em relação ao último trimestre de 2018, ao passo que o setor privado sem carteira ficou estável. O grande destaque foi o segmento de trabalhadores por conta própria com redução de 17 mil indivíduos. Adicionalmente, cabe observar que o […]

Leia mais

A leitura dos dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) referentes ao primeiro trimestre de 2018 mostra um quadro menos favorável que o observado no trimestre anterior. Porém, quando se analisa a taxa de desemprego controlando pela sazonalidade do período, observa-se que houve estabilidade, com uma redução de 0,2pp entre o 4º trimestre de 2018 e o primeiro de 2019 (Gráfico 1). Contudo essa estabilidade adveio de uma combinação de redução da taxa de participação, aumento dos postos no setor público e redução pronunciada no número de ocupados no setor privado (Tabela 1). Os registros do Cadastro Geral de […]

Leia mais

Variação no mês e no trimestre Em março, o volume de vendas dos serviços subiu 1,3% quando comparado a fevereiro, descontados os efeitos sazonais. Trata-se de um aumento após duas quedas consecutivas nesta base de comparação. Em relação ao mesmo mês do ano anterior, o setor apresentou redução de 3,7%, cessando as altas consecutivas nesta base de comparação. Porém, dado a menor quantidade de dias úteis no mês de março por causa do carnaval quando comparado ao mesmo mês de 2018, parte dessa queda pode estar relacionado a isso.  ´ No trimestre móvel encerrado em março, há diminuição de 2,6% […]

Leia mais

No mês de abril, o IPCA de Brasília variou 0,77% em relação a março, quando havia registrado alta de 0,93%. Foi a sexta maior inflação mensal entras as 16 regiões pesquisadas pelo IBGE, sendo maior inclusive que a inflação brasileira, de 0,57%. Já a inflação acumulada no ano para Brasília está entre as três menores do país, bem abaixo do acumulado para o país, de 1,51%. A maior inflação mensal foi registrada em Fortaleza (0,91%) e a menor em Rio Branco (0,05%). Gráfico 1 –Variação (%) mensal do IPCA – Brasil e Regiões Pesquisadas – abril de 2019 O grupo […]

Leia mais