Categoria: INFLAÇÃO

No mês de março, o IPCA de Brasília variou 0,93% em relação a fevereiro, quando havia registrado deflação de 0,18%. Trata-se da única região pesquisada pelo IBGE a registrar inflação mensal (0,93%) maior do que o acumulado no ano (0,80%). Note-se ainda que a inflação acumulada no ano para Brasília é a menor entre as regiões pesquisadas e é quase metade do acumulado para o país, de 1,51%. No entanto, o resultado no mês foi maior em Brasília do no país. São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre foram as regiões principais contribuições positivas para a inflação mensal […]

Leia mais

No mês de fevereiro, o IPCA de Brasília recuou 0,18% em relação a janeiro. Trata-se da única região metropolitana pesquisada pelo IBGE a registrar deflação no mês. Considerando o pequeno avanço de janeiro (0,05%), o acumulado no ano também segue em terreno negativo (-0,13%). Gráfico 1: Variação (%) mensal do IPCA – Brasil e Regiões Pesquisadas – fevereiro de 2019.             Fonte: IBGE/ Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre O grupo com maior contribuição para o resultado do mês foi Transportes: em Brasília, o grupo registrou variação de -2,85%, ao passo que na média nacional a variação foi de -0,34%. Mais especificamente, o recuo de […]

Leia mais

Quando se analisa os números da economia do Distrito Federal no quarto trimestre de 2018, é possível perceber que a atividade econômica mostra recuperação, embora em ritmo gradual. Todavia, o cenário ainda se mostra recessivo em alguns segmentos importantes, de maneira que o resultado oferece um quadro positivo, ainda que errático em algumas variáveis.   Esta é a sétima edição do Boletim de Conjuntura do Distrito Federal, consolidando o trabalho de acompanhamento econômico que a CODEPLAN vem realizando. O Boletim se refere ao quarto trimestre de 2018, oferecendo uma visão ampla do comportamento da atividade econômica no DF. A defasagem […]

Leia mais

O IPCA/Brasília registrou variação de 0,05% no mês de janeiro de 2019, quarta menor variação registrada entre as regiões pesquisadas pelo IBGE, ou seja, bem inferior à média nacional que foi de 0,32%. O resultado refletiu, de um lado, o aumento do preço do feijão-carioca (24,31%) e das taxas de condomínio (2,61%), e, de outro lado, o recuo de 3,36% no preço da gasolina. Vale ressaltar que este item vem mostrando queda contínua nos últimos meses. Também vale mencionar as quedas nos preços de passagens aéreas (-2,88%) e nos preços do tomate (-13,28%), ambos produtos haviam pressionado fortemente a alta […]

Leia mais

O IPCA/Brasília encerrou 2018 com variação de 3,06%, abaixo da média nacional de 3,75% e virtualmente no limite inferior da meta de inflação (3,0%). Esse resultado pode ser creditado, em larga medida, ao menor avanço nos grupos Transportes e Habitação, que encerraram 2018 em 3,66% e 2,80%, respectivamente. Em ambos os casos, houve grande influência de itens importantes que recuaram no último bimestre do ano. Tabela 1 – IPCA – Variação frente ao mês anterior e variação acumulada em 12 meses, por grupos – (%) – dezembro de 2018 – Brasil e Brasília No grupo Transportes, ocorreu redução de 12% […]

Leia mais

A leitura do Idecon/DF apresenta quadro mais favorável no terceiro trimestre, ainda que a recuperação seja lenta. Na comparação com o mesmo trimestre de 2017, houve avanço de 0,9% no indicador. No que diz respeito aos grandes setores da atividade, houve retração na Agropecuária(-2,8%) e na Indústria (-0,2%). Foi o avanço de 0,9% no setor de Serviços que garantiu o resultado positivo no trimestre. Dessa forma, quando se analisa os números da economia do Distrito Federal no terceiro trimestre de 2018, é possível perceber que a atividade econômica mostra recuperação, embora em ritmo gradual. Todavia, o cenário ainda se mostra recessivo em alguns […]

Leia mais

O IPCA/Brasília registrou deflação de 0,43% no mês de novembro em comparação a outubro, maior deflação registrada entre as regiões metropolitanas pesquisadas pelo IBGE e bem inferior à média nacional que foi de 0,21%. Tabela 1 – IPCA – Variação frente ao mês anterior e variação acumulada em 12 meses, por grupos – (%) – novembro de 2018 – Brasil e Brasília Fonte: IBGE/ Elaboração Codeplan/GECON-Nupre O resultado refletiu, em grande medida, o recuo de 5,35% no preço da gasolina.Vale ressaltar que este item apresentou forte avanço nos últimos dois meses. Também vale mencionar as quedas nos preços da energia […]

Leia mais

O IPCA/Brasília registrou avanço de 0,41% no mês de outubro em comparação a setembro, valor próximo da média nacional de 0,45%. O resultado refletiu o avanço de alguns itens com grande peso na cesta do consumidor brasiliense: 4,26% no preço das passagens aéreas e 2,03% na gasolina. Somados, os dois itens representaram metade do índice geral. Vale ressaltar, ainda, que estes dois itens apresentaram forte avanço no mês passado e, portanto, partiram de uma base de comparação relativamente mais alta. Adicionalmente, cabe destacar o avanço nos preços no grupo Alimentos e bebidas, em particular a elevação de 54,7% no preço […]

Leia mais

A inflação oficial de Brasília, medida pelo IPCA, calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, registrou no mês de setembro de 2018, variação de 1,06% na comparação com agosto. O resultado ficou bem acima da média nacional de 0,48% e é o maior entre as 16 localidades onde o IBGE pesquisa mensalmente a variação de preços que compõe o índice. Todas as regiões registraram variação mensal positiva, sendo a maior registrada em Brasília e a menor, em Belém (PA), de 0,06%. A publicação completa pode ser acessada no link abaixo IPCA-Setembro-2018

Leia mais

O IPCA/Brasília registrou avanço de 0,41% no mês de outubro em comparação a setembro, valor próximo da média nacional de 0,45%. O resultado refletiu o avanço de alguns itens com grande peso na cesta do consumidor brasiliense: 4,26% no preço das passagens aéreas e 2,03% na gasolina. Somados, os dois itens representaram metade do índice geral. Vale ressaltar, ainda, que estes dois itens apresentaram forte avanço no mês passado e, portanto, partiram de uma base de comparação relativamente mais alta. Adicionalmente, cabe destacar o avanço nos preços no grupo Alimentos e bebidas, em particular a elevação de 54,7% no preço […]

Leia mais