Resumo

  • O nível de atividade do setor de Serviços do Distrito Federal caiu 6,1% em março de 2021 em relação a fevereiro de 2021. No Brasil, houve queda de 4,0% na mesma comparação.
  • No acumulado em 12 meses o resultado é ainda menor e apresenta uma contração de 12,3% no DF, enquanto no Brasil a retração é de 8,0%.
  • Os Serviços prestados às famílias sofreram maiores efeitos negativos, apresentando uma variação de -24,2 em relação a março de 2020 e de -42,1% no acumulado de 12 meses.
  • As atividades turísticas da capital apresentaram queda de 9,5% na comparação a fevereiro de 2021. No Brasil, a queda foi de 22,0%.

Variação no mês

O nível de atividades do setor de serviços do Distrito Federal apresentou queda de 6,1% em março de 2021, na comparação com o mês anterior já descontado o efeito sazonal. Foi o segundo resultado negativo consecutivo para o setor, refletindo, em parte, o aumento das restrições causadas pelo avanço da covid 19 no DF. A nível nacional, a variação mensal foi de -4,0% e de +4,5%, quando comparado com o mesmo mês do ano anterior.

Desempenho em 12 meses

No acumulado em 12 meses, o desempenho do volume de serviços de março (-12,3%) prestados no DF é ruim, mas representa uma leve melhora em relação ao percentual registrado em fevereiro de 2021 (-12,5%). Com isso, mantem-se a tendência de queda presente desde agosto de 2019, e que foi agravada em partes pelos impactos da pandemia. Importante mencionar que a variação acumulada nos 12 meses findo em março de 2021 (-12,3%) é maior que o percentual registrado apenas no mês de março de 2020 (-13,1%), mês no qual foram implementadas as primeiras medidas de contenção da disseminação da Covid-19 no DF.

Segmentos de Serviços

Analisando o desempenho do setor por segmentos, apenas dois tiveram resultados positivos na comparação com o mesmo mês do ano anterior, sendo eles Serviços de informação e comunicação (1,7%) e Outros serviços (0,7%). Já no acumulado em 12 meses, apenas os Outros serviços (1,0%) apresentou resultado positivo, enquanto Serviços de informação e comunicação (-5,1%) apresentaram segundo melhor percentual na comparação.

Os Serviços prestados às famílias seguem sendo destaques negativos, tanto na comparação com o mesmo mês de 2020 (-24,2%) quanto no acumulado de 12 meses (-42,1%). Devido aos impactos no decorrer da pandemia e do aumento do desemprego, o segmento foi prejudicado.

Em seguida, Serviços profissionais, administrativos e complementares registraram queda de 4,6% na comparação com o mesmo mês do ano anterior. No acumulado de 12 meses, o segmento obteve o terceiro pior resultado (-11,7%).

Os Transportes, auxiliares e correio registraram variação de -17,1% na comparação com março de 2020 e de -26,9% no acumulado de 12 meses, portanto, o segundo pior resultado nas duas comparações.

Serviços de turismo

No Distrito Federal, as atividades turísticas tiveram queda de 9,5% em comparação a fevereiro de 2021. As incertezas e o agravamento da pandemia tanto na capital federal quanto a nível nacional impactaram o setor, visto que a realização de eventos e práticas turísticas tiveram seu funcionamento interrompido ou limitado. Com situações diversas em cada estado do Brasil, o resultado nacional foi pior (-22,0%). No acumulado de 12 meses, o desempenho é semelhante, com a capital federal (-47,5%) tendo resultado pior do que o registrado pelo país (-42,0%).

A Pesquisa Mensal de Serviços é realizada pelo IBGE e abrange empresas formalmente constituídas, com 20 ou mais pessoas ocupadas, que desempenham como principal atividade um serviço não financeiro, excluídas as áreas de saúde e educação. Todos os dados apresentados têm como fonte o IBGE.


CNAEs pesquisadas

Última atualização: 12.05.2021