Em fevereiro, o volume de vendas dos serviços reduziu 4,5% quando comparado a janeiro, descontados os efeitos sazonais. Trata-se da segunda queda consecutiva nesta base de comparação. Em relação ao mesmo mês do ano anterior, o setor apresentou avanço de 4,2% – terceiro mês consecutivo de crescimento nesta base de comparação.

Portanto, os dados sugerem uma perda de fôlego mais recente do setor de serviços, embora em níveis melhores que aqueles observados no ano passado.  No trimestre móvel encerrado em fevereiro, há avanço de 0,9%, ligeiramente abaixo do verificado em meses anteriores. Isto corrobora o cenário de desaceleração mais recente do setor.


Fonte: PMS/IBGE elaboração Codeplan; *O ajuste sazonal, isto é, as influências de possíveis sazonalidades, foi estimado pelo IBGE.

Desempenho em 12 meses

O setor de serviços não financeiros registrou em fevereiro expansão de 3,7% no acumulado em doze meses. O valor está 1 pp acima do observado em janeiro e é o maior desde junho de 2015. Apesar das leituras desfavoráveis neste primeiro bimestre, os bons resultados registrados em boa parte do ano passado contribuíram para manter o indicador elevado, sobretudo quando comparado ao fraco ano de 2017.

Segmentos do Serviços

Os dados mostram que três dos cinco segmentos pesquisados apresentaram recuo em relação a fevereiro de 2018. Apenas os segmentos de   Serviços de informação e comunicação (13,6%) e outros serviços (4,8%) registraram crescimento. Cabe notar que estas categorias vêm apresentando crescimento nos últimos meses, ao passo que as demais têm registrado maior instabilidade.