A leitura dos dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) referentes ao primeiro trimestre de 2018 mostra um quadro menos favorável que o observado no trimestre anterior. Porém, quando se analisa a taxa de desemprego controlando pela sazonalidade do período, observa-se que houve estabilidade, com uma redução de 0,2pp entre o 4º trimestre de 2018 e o primeiro de 2019 (Gráfico 1).

Contudo essa estabilidade adveio de uma combinação de redução da taxa de participação, aumento dos postos no setor público e redução pronunciada no número de ocupados no setor privado (Tabela 1).

Os registros do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED/MTE) mostram um quadro um pouco diferente, com a criação de quase cinco mil postos de trabalho formal no primeiro trimestre do ano. No entanto, na comparação desse resultado com o mesmo período do ano anterior, houve uma redução do número de postos criados no período, indicando uma desaceleração do processo de recuperação do mercado formal de trabalho – já identificada em trimestres anteriores (Gráfico 2).