No mês de julho, o IPCA de Brasília variou 0,22% em relação a junho, quando havia registrado 0,13%. Foi a quarta maior inflação mensal entre as 16 regiões pesquisadas pelo IBGE, sendo maior que a inflação brasileira, de 0,19%. A maior inflação mensal foi registrada em Porto Alegre (0,54%) e a menor em Goiânia (-0,22%). Já a inflação acumulada no ano para Brasília, de 1,89% é a terceira menor do país, abaixo do acumulado nacional de 2,42%.

Gráfico 1 –Variação (%) mensal do IPCA – Brasil e Regiões Pesquisadas – julho de 2019

Fonte: IBGE/ Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre

O grupo com maior contribuição para o resultado do mês foi Alimentação e bebidas: alta de 0,41%. Itens como mamão e lanche foram os destaques do mês no lado da alta, porém, tomate e banana-prata registram redução de preços. As variações positivas foram mais marcantes de forma que a contribuição para o índice foi de alta de 0,09pp.

O segundo maior impacto do mês foi Habitação: em Brasília, o grupo registrou variação de 0,55%, e contribuição de 0,09pp. Contudo, esse valor foi abaixo da média nacional de 1,2%. Esse avanço ocorreu devido à mudança da bandeira tarifária de verde para amarela.

Gráfico 2 – IPCA – Variação mensal (%) e contribuição (pp) de cada grupo – Brasília/DF – julho de 2019

Fonte: IBGE/ Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre

Em relação ao grupo Transportes, terceira maior contribuição, a alta registrada foi de 0,3%, novamente impactado pelas passagens aéreas, com 11,69% de variação de um lado, e de outro lado, da redução de preços da gasolina, -3,85%). O balanceamento entre os subitens resultou em um número positivo para o grupo, porém, baixo.

 Já quando se olha para as quedas de preços, o destaque é para Vestuários, com diminuição de -1,24% nos preços, possivelmente em decorrência do período de férias, o que diminuí a demanda, e do período de mudança de coleções, que é marcado por promoções.

Tabela 1 –  IPCA – 10 maiores e menores contribuições (pp) e respectivas variações mensais (%) por subitens – Brasília – julho de 2019

Fonte: IBGE/ Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre