Resumo

  • A atividade econômica no Distrito Federal, no terceiro trimestre de 2020, medida pelo Idecon-DF, registrou variação negativa de 0,6% na comparação com igual trimestre de 2019.
  • Foi o segundo índice negativo consecutivo em toda a série histórica do indicador, iniciada em 2012. No segundo trimestre de 2020, a retração foi de 3,9%.
  • Em relação aos setores, a Agropecuária (2,0%) e a Indústria (1,3%) obtiveram resultado positivo. Os Serviços apresentaram variação negativa de -0,7%.
  • Na mesma base de comparação, a economia nacional, calculada pelo IBGE, retrocedeu 3,9%. Os Serviços (-4,8%) e a Indústria (-0,9%) caíram e a Agropecuária (0,4%) subiu.

Gráfico 1 – PIB-Brasil e Idecon-DF – 1º Trimestre de 2015 ao 3º Trimestre de 2020 – Variação no trimestre em relação ao mesmo trimestre do ano anterior (%)

Fontes: IBGE e Codeplan. Elaboração: NUCON/GECON/DIEPS.

A atividade econômica no Distrito Federal, no terceiro trimestre de 2020, medida pelo Idecon-DF, registrou variação negativa de 0,6% na comparação com igual trimestre de 2019. Foi o segundo índice negativo consecutivo em toda a série histórica do indicador, iniciada em 2012. No segundo trimestre de 2020, a retração foi de 3,9%.

Em relação aos setores, a Agropecuária (2,0%) e a Indústria (1,3%) obtiveram resultado positivo. Os Serviços apresentaram variação negativa de -0,7%. Na mesma base de comparação, a economia nacional, calculada pelo IBGE, retrocedeu 3,9%. Os Serviços (-4,8%) e a Indústria (-0,9%) caíram e a Agropecuária (0,4%) subiu.

Gráfico 2 – Idecon-DF – 3º Trimestre de 2020 – Variação no trimestre em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, por setor (%)

Fontes: IBGE e Codeplan. Elaboração: NUCON/GECON/DIEPS.

No acumulado do ano, até setembro de 2020, a economia do Distrito Federal retrocedeu 1,1% ante aos primeiros nove meses de 2019. No acumulado dos quatro trimestres terminados no terceiro trimestre de 2020, o Idecon-DF caiu levemente (-0,2%) em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores. Para a economia brasileira, o IBGE registrou queda nos acumulados do ano (-5,0%) e dos quatro trimestres (-3,4%).

Gráfico 3 – PIB-Brasil e Idecon-DF – 1º Trimestre de 2015 ao 3º Trimestre de 2020 – Variação acumulada em quatro trimestres em relação ao mesmo período do ano anterior (%)

Fontes: IBGE e Codeplan. Elaboração: NUCON/GECON/DIEPS.

Os resultados evidenciam os efeitos da flexibilização do isolamento e da retomada das atividades comerciais e de serviços na economia do Distrito Federal. Embora o cenário local se mostre mais favorável que o nacional, a recuperação é gradual. A estrutura produtiva do DF é pautada essencialmente pela dinâmica do setor de Serviços (95,3%), que vem em recuperação mais lenta. Os setores industrial (4,2%) e agropecuário (0,5%) possuem pouca representatividade.

Para mais informações, consulte a publicação completa: