Resumo

  • O Distrito Federal abriu 3.613 vagas de emprego formal em janeiro de 2021. No cenário nacional, foram criadas 260.353 vagas no período.
  • Apenas três unidades da federação tiveram saldo negativo nas vagas de emprego.
  • Todos os setores da atividade econômica registraram saldo positivo, com destaque para Serviços (+1.798).
  • Atividades Administrativas e Serviços Complementares registraram o menor saldo, com -631 vagas. No Brasil, Educação registrou -4.097 vagas.

O Distrito Federal iniciou o ano de 2021 com um saldo de 3.613 vagas de emprego formal, de acordo com os dados divulgados pela Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia. Entre as unidades da federação, foi o 11º maior resultado.

Após apresentar resultado negativo no mês de dezembro, como é mostrado no Gráfico 1, a criação liquida de postos de trabalho observada em janeiro de 2021, reforça o caráter sazonal dos desligamentos de fim de ano na capital federal e indica que esse mercado deve manter sua trajetória de recuperação. Além disso, destaca-se o número de admissões, que obteve seu maior resultado em 3 meses (+23.713). Apesar das contratações ainda serem inferiores às registradas em janeiro de 2020 (+28.062 vagas), o saldo corrente (+ 3.613 vagas) é mais que o dobro do verificado naquele mês (+1.457 vagas).

Importante destacar que a sucessão de resultados positivos do mercado de trabalho observada a partir de julho de 2020, com exceção do mês de dezembro, não foi suficiente para reverter as perdas ocorridas entre março e junho em termos de empregos formais no Distrito Federal. Isso denota que ainda será preciso percorrer um longo caminho para restabelecer os níveis pré-crise.

Gráfico 1 – Evolução das admissões (+1), desligamentos (-1) e do saldo de empregos – Distrito Federal – janeiro de 2020 a janeiro de 2021 – número de vagas

Fonte: CAGED/Ministério da Economia. Elaboração: GECON/DIEPS/CODEPLAN

Resultado mensal

No mês de janeiro, o setor de Serviços foi o que apresentou maior saldo positivo de empregos formais, criando 1.798 novas vagas, seguido da Construção, com 936 novos postos de trabalho. Esses dois setores representam 75% do total de novas vagas do mês, evidenciando a maior demanda delas na economia da capital federal.

Por outro lado, as Atividades Administrativas e Serviços Complementares fechou 631 vagas em janeiro, sendo o maior contrapeso para um melhor resultado geral. Em seguida a Eletricidade e Gás encerrou 15 vagas de emprego formal.

Tabela 1 – Saldo das admissões (+1) e desligamentos (-1) formais, por setor de atividade econômica – Saldo mensal  – Brasil e Distrito Federal – janeiro de 2021 – número de vagas

Fonte: CAGED/Ministério da Economia. Elaboração: GECON/DIEPS/CODEPLAN

Resultado por UF

Com resultado positivo no inicio de 2021, a capital do país se encontra na 11ª posição entre as unidades da federação que mais criaram vagas. Em comparação ao mês de dezembro de 2020, houve uma significativa mudança, em que fazia parte dos destaques negativos.

O estado de São Paulo se destaca com o maior saldo positivo no mercado de trabalho (+75.203) de janeiro de 2021, seguido por Santa Catarina (+32.077). Do outro lado, Alagoas registrou saldo negativo de 198 vagas no mercado de trabalho, sendo o pior resultado do mês analisado. O Rio de Janeiro registrou novamente um resultado negativo, com 44 vagas a menos no mercado de trabalho.

Gráfico 2 – Comparativo do saldo mensal do mercado de trabalho – Distrito Federal e estados brasileiros – janeiro de 2021 – número de vagas

Fonte: CAGED/Ministério da Economia. Elaboração: GECON/DIEPS/CODEPLAN