Resumo

  • O Distrito Federal criou 3.496 vagas de trabalho formais em maio de 2021. No Brasil, o saldo líquido positivo foi de 280.666 postos de trabalho
  • O setor de Serviços puxou a alta no mês com a abertura de 3.018 novas vagas.
  • Em maio de 2021, destacaram-se os segmentos de Informação, comunicação e outros serviços (+1.503 vagas) e de Administração pública, defesa e outros serviços (+600 vagas).
  • No acumulado de 2021, o DF possui um saldo positivo de 19.017 empregos. No Brasil, esse valor é de 1.233.372 vagas.

Em maio de 2021, as admissões foram superiores ao número de desligamentos no Distrito Federal, o que resultou em um saldo de 3.496 vagas de trabalho formal. Esse resultado representa o quinto saldo positivo no ano em cinco meses, destacando a trajetória de recuperação do mercado de trabalho formal na capital federal. Comparado ao mês anterior, houve uma queda de 2,7% na geração mensal de empregos. No Brasil, o saldo do mês de maio foi de 280.666 postos de trabalho.

Gráfico 1 – Evolução das admissões (+1), desligamentos (-1) e do saldo de empregos – Distrito Federal – maio de 2020 a maio de 2021 – número de vagas

Fonte: Novo CAGED/Ministério da Economia. Elaboração: GECON/DIEPS/Codeplan

Em se tratando de segmentos, o setor de Serviços foi novamente o maior responsável pela alta mensal (3.018 vagas), com o segmento de Informação, comunicação e outros aparecendo como o maior responsável pelo resultado, com criação de 1.503 novas vagas. Em seguida, aparece a Indústria Geral com criação de 499 novas vagas de emprego formal, com o segmento de Construção sendo o maior responsável pelo resultado (+197 novas vagas formais criadas).

Tabela 1 – Saldo de empregos (admissões – desligamentos), por setor e segmento produtivo – Brasil e Distrito Federal – maio de 2021 – número de vagas

Fonte: Novo CAGED/Ministério da Economia. Elaboração: GECON/DIEPS/Codeplan

Nos destaques negativos, temos o setor da Agropecuária que contribuiu com -21 novas vagas de emprego formal. Nos segmentos, apenas as Indústrias Extrativas (-3 vagas formais) registraram redução no número de vagas. Esse é o primeiro mês em que o setor de Serviços não registra segmentos negativos desde o mês de janeiro de 2021.

Acumulado do ano

No acumulado do ano, o saldo entre as admissões (+1) e os desligamentos (-1) mostra uma abertura de 19.017 vagas de emprego formal no Distrito Federal. Destaca-se o setor de Serviços, responsável por 71,3% do saldo de empregos no período (+13.562 vagas). Já a Industria geral aparece com 27,0% (+ 5.138 vagas), e a Agropecuária, mesmo com resultado negativo mensal, aparece com 2,7% (+317 vagas).

Entre as contribuições negativas, os segmentos de Transporte, armazenagem e correio e Alojamento e alimentação aparecem com -541 e -430 vagas formais, respectivamente. Eletricidade e gás (-78 vagas) e Indústrias de transformação (-1 vaga formal), fecham as retrações no período.

Tabela 2 – Saldo de empregos (admissões – desligamentos), por setor e segmento produtivo – Brasil e Distrito Federal – Acumulado no ano de 2021 – número de vagas

Fonte: Novo CAGED/Ministério da Economia. Elaboração: GECON/DIEPS/Codeplan

No cenário nacional, o resultado é semelhante, com os três grandes setores apresentando crescimento no ano. O Brasil apresentou saldo positivo de 1.233.372, vagas nos primeiros cinco meses do ano, com grande participação do setor de Serviços (+671.967 novas vagas ou 54,5% do total), seguido pela Industria Geral (+447.271 novas vagas e 36,2% do total). A Agropecuária representa 9,3% do total com +114.510 novas vagas.